5 Comentários:

Anónimo disse...

"objetivo oferecer tempo à mulher moderna" - esse raciocínio é um pau de dois bicos :P o objectivo também pode ser "manter os trabalhadores o máximo de tempo na empresa para que não percam tempo com distracções e possam dedicar-se a 100% ao trabalho". Já trabalhei uma sociedade de escrav... *cof cof* advogados! que tinha uma série de serviços prestados na empresa (manicure, médica, iam buscar as roupas, levar à lavandaria e trazer lavadas, o mesmo com medicamentos da farmácia, etc) para que pudesses passar o dia comodamente atrás do teu computador só focada no trabalho e sem distracção de maior... assim nem havia motivo para saires durante a hora de almoço, também havia um bar no edifício que servia refeições :P

Blog da Bel disse...

Anónimo, isso para mim, que sou viciada em ficar a frente do computador (para nao dizer trabalhar) seria um sonho!!! Agora, "escravatura" não se justifica nem com manicure ali ao lado!!! Obvio!
Eu perco mesmo muito tempo entre idas e vindas, trago, por exemplo, sempre almoço de casa, nao so para comer bem e poupar uns trocos, mas porque descer do 16 andar, so o elevador demora meio seculo, mais passar a digital quando a minha passa e quando nao me esqueco do cracha no 16 andar, ir ate ao lugar, almoçar, ou fazer a unha, ou compra nao sei o que, enfretar filas para pagar, e voltar... Ufa!!! Demoro seculos! As vezes um tempo que prefiro ficar no ebay ou a responder aqui a voces! :)

Beijocas

Paula disse...

Pois é Bel, aqui no Centro do Rio que você tão bem conhece então chegar a qualquer lado é um tumulto seria otimo se existisse uma ideia dessas ! Demoro 1 hora para ir almoçar e na correria mas só a fila do delirio tropical são 20 minutos e mais 15 para pagar já somo 35 minutos!

Anónimo disse...

No meu caso, a escravatura (ainda que razoavelmente paga lol) referia-se a trabalhar todos os dias das 9h às 21h (horário normal), havendo todas as semanas dias "anormais" em que ficava até às 22h, 23h, meia-noite... para já não falar de directas, fins-de-semana, feriados, férias, etc :P mas isso é assim em qualquer grande sociedade de advogados em Lisboa, bem como nas grandes consultoras, daí ter saído e agora tenho uma vida normal.

Anyway, nesse cenário antigo, qualquer coisa (mesmo que fosse uma manicure, ou ir às compras, ou tratar de algo no banco eheh) era bom para arejar um pouco, desanuviar e saír por momentos daquele ambiente. Daí não gostar da ideia de que essas coisas pessoais que eu deveria ter tempo para fazer fora do escritório, passem para dentro dele e sejam vistas como vantagens, que tiram aos trabalhadores o pouco tempo livre fora de portas que ainda lhes resta para as fazerem.

Enviar um comentário