43 Comentários:

Anónimo disse...

Acho ridículo que se possa obter a nacionalidade com tão poucos requisitos (basicamente, tirando o facto de envolver burocracia, trata-se apenas de estar cá há mais de 6 anos e de obter papelada e de a apresentar). Especialmente quando Portugal faz parte da UE e conferir a nacionalidade portuguesa a uma pessoa equivale a um abrir de portas gigante para mais outros 26 Estados. Não sei se nos outros Estados-Membros o procedimento será semelhante, mas devia ser igual em todos e devia haver uma diferença para outros cidadãos de países da UE e para os cidadãos de países terceiros.

Blog da Bel disse...

Anonimo, acredito que seja uma regra geral para toda a UE, mas não tenho a certeza, será até interessante investigar! Acho que 6 anos já é um tempo razoável para se dar a nacionalidade, só lamento não existir essa reciprocidade e o Brasil não dar a nacionalidade a quem cá está, também, há mais de 6 anos! Ou melhor, até ma dá mas tenho de renegar a nacionalidade portuguesa... A minha pergunta é, cade a reciprocidade?

Beijocas

Anónimo disse...

O artigo em causa está desactualizado. Agora é assim:

"Aquisição da nacionalidade por naturalização
Artigo 6.º
Requisitos
1 - O Governo concede a nacionalidade portuguesa, por naturalização, aos estrangeiros que satisfaçam cumulativamente os seguintes requisitos:
a) Serem maiores ou emancipados à face da lei portuguesa;
b) Residirem legalmente no território português há pelo menos seis anos;
c) Conhecerem suficientemente a língua portuguesa;
d) Não terem sido condenados, com trânsito em julgado da sentença, pela prática de crime punível com pena de prisão de máximo igual ou superior a 3 anos, segundo a lei portuguesa."

A versão actual da lei pode ser consultada aqui:
http://www.pgdlisboa.pt/leis/lei_mostra_articulado.php?nid=614&tabela=leis

Anónimo disse...

Oi Bel eu sou a Lany, a rapariga que comentou no blog da Anne (agarotadeipanema). Gostaria sim o contacto do teu amigo, como faço para falar contigo? Posso enviar-te um email? Se puder, qual é o email que usas para eu puder falar contigo? Beijos e obrigada.

Anónimo disse...

Ps: Sou a Lany que queria comprar produtos da natura beijos e obrigada pela tua atenção

Blog da Bel disse...

Oi Lany, tudo bom?

Deixo o contato do Jerferson Silva que vende Natura em Portugal: 962795732

beijocas

Anónimo disse...

Não sabia que era assim tão "fácil" obter a nacionalidade, agora ainda com menos requisitos com essa versão da lei que o comentador acima postou! Parece que o único requisito "a sério" mesmo são os 6 anos... o resto a grande maioria dos candidatos deve conseguir obter. Parece-me estranho... são 6 anos que te tornam "de um país"? Sei que a nacionalidade hoje em dia, com o mundo global, já não significa o que significava há uns séculos atrás...é comum hoje em dia haver muita gente com dupla (ou até tripla) nacionalidade, pessoas que nasceram num país e se mudaram de lá com os pais bem jovens, mas têm a nacionalidade, mas não sei, faz-me impressão. Não é ser racista ou xenófoba, mas é achar que ser Português é mais do que cumprir com estes requisitos. Quando fui fazer o meu passaporte estava lá um senhor de turbante e barba comprida (feições árabes) com o seu cartão de cidadão português lol. Assim acaba por perder algum significado o ser nacional de um país... se "toda a gente" se pode tornar cidadão de outro país ao fim de X tempo de permanência, é indifierente se no passaporte aparece que é Português, Dinamarquês ou Búlgaro... é gente de todo o lado, sem especial ligação ao país de onde são nacionais, para além do facto de terem lá vivido 6 anos! E o que são 6 anos nos dias de hoje... podemos até ir acumulando nacionalidades com mudanças de país :P enfim, acho mesmo estranho quando vejo pessoas que em nada são portuguesas (eu própria já vivi uns tempos no estrangeiro e estava longe de me considerar como nacional desses países, ainda que nunca tenha estado 6 anos fora) a dizer agora coisas como "Espero que esse post seja útil aos Brazucas que também querem ser Tuguinhas"... parece que é só por uma questão de conveniência!

Blog da Bel disse...

Anônimo das 13:16, acredito que sim, que muitas vezes é por uma questão de conveniência mesmo, ser imigrante nem sempre é fácil, como morou no estrangeiro sabe como é!
Embora não concorde, entendo o que escreve, mas acredito que seja muito difícil para quem esta por detrás da lei saber ao certo o que torna uma pessoa nacional ou não... Eu só ainda tenho 30 anos, então para mim, 6 anos num pais já é bastante tempo. Agora dou lhe muita razão na parte da conveniência no que toca aos jogadores de futebol, acho sujo que lhes seja dada a nacionalidade, sem cumprirem os requisitos exigidos, com único e exclusivo interesse da seleção nacional...

Beijocas

Anónimo disse...

Bel, eu comentei isso porque vivi na Bélgica, um país hiper povoado de imigrantes, maioritariamente de países árabes e do norte de África, que pouco ou nenhum esforço fazem para se integrar na sociedade. Sendo a Bélgica um país com uma economia estável, embora agora a crise também lá esteja a chegar, era um paraíso para esses imigrantes de países de 3º mundo, que chegando ali têm uma série de condições e benefícios de que jamais poderiam servir-se nos seus países. Dou-lhe o exemplo de que, quem vive em Bruxelas, já conhece certos bairros e zonas por onde não deve passar, se for mulher sozinha, pois é assediada na rua por essas pessoas, normalmente homens muçulmanos. Aparentemente está tudo bem para a Europa, que se rege por princípios de respeito e tolerância, ter cá estas pessoas, dar-lhes benefícios sociais e, quem sabe, dar-lhes até a nacionalidade desse país. E com isto quero dizer que, se há uns anos atrás, dizer "sou Belga" trazia em si logo um conjunto de valores associados, valores identificados com esse país, hoje em dia não quer dizer muito. E quem diz belga diz de outras nacionalidades! Nestes aspectos desagrada-me a tolerância da Europa, o facilitismo com que acolhemos, o querermos acomodar bem tudo e todos, quando isso obviamente não é possível e leva-nos à crise em que vivemos, estando agora a ser ultrapassados pelas chamadas economias emergentes, que têm "gaps" gigantescos na sua sociedade e que não respeitam muitos dos valores que nós usámos como bandeira para construir a UE. Países esses que nem, reciprocamente, nos "pagam na mesma moeda" e nos deixam ter esse facilitismo enquanto imigrantes (como a Bel refere, de no Brasil ter de renegar a nacionalidade Portuguesa se quiser ser Brasileira). Isso sim é que acho injusto e a história dos jogadores de futebol é mais uma! Na Holanda agora impuseram que os imigrantes que queiram obter a nacionalidade saibam falar holandês e foi uma revolta total... ;)

Maria Tereza Bras disse...

Assunto bastante importante vou ja imprimir e ajudar a minha empregada, vai ser muito bom para ela! O foco era ajudar e não virem aqui com comentários menos simpáticos para com estrangeiros. Acho desnecessário e deselegante.

Wilma Santos disse...

Achei super importante o post e vou salvá-lo. Acho seis anos um tempo adequado, porque afinal quem ficou todo esse tempo e quer continuar, creio que se identificou com o país. Também acredito que o Mundo tenderá pra isso mesmo, quem pode, escolhe onde quer passar a sua vida, já que não se pode escolher onde nascer. Também, aponto que viver na Europa hoje não é tão fácil, então,se a pessoa não tem renda pra sua subsistência, não tem como. Outro dia li em algum lugar que se obtém também a Cidadania, se fizer um investimento de 500mil Euros em imóvel ou Hum mil Euros em Investimentos no país abrindo Empresa, pelo que entendi, nem precisa viver por 6 anos!! (se eu estiver errada, podem corrigir). Eu só não concordo com o que disse a anônima 10.17hs, me desculpe, mas para quem as portas gigantes dos 26 Estados serão abertas, pouco vai importar a sua nacionalidade, tem que ter competência, pouco vai importar o resto, esteja ela na África, no Brasil ou Canadá,a coisa não é tão simples como parece, não basta um passaporte europeu. Agora, concordo sim, que o imigrante tem que se esforçar pra falar a lingua do país que adotou e se integrar aos usos e costumes.

Blog da Bel disse...

Wilma, isso mesmo, ainda ontem tive uma reunião com advogados de Portugal e Angola sobre isso! :) "Basta" comprar bem imóvel de valor igual ou superior a 500 mil euros, transferir capitais no valor igual ou superior a 1 milhão de euros OU criar pelo menos 10 postos de trabalho para se conseguir o Golden Visa. Achei uma ótima resposta de Portugal para atrair novos investimentos vindos do exterior! Com certeza será uma excelente ajuda e posso garantir que os brasileiros estão muito interessados! Não só pela nacionalidade que podem adquirir no final de 5 anos como pela situação fiscal que poderão ter! :)

Beijocas

Anónimo disse...

É como a BEl diz, nessa questão dos investimentos o que se concede ao investidor é um "visto gold" e não a nacionalidade.

Quanto ao abrirem-se as portas da UE quando um nacional de um país terceiro se torna nacional de um dos Estados-Membros, claro que isso é super relevante! Essa pessoa passa a ter uma série de direitos, não só em Portugal, como em mais 26 Estados, algo que nunca teria se tivesse apenas a nacionalidade do seu país terceiro. Pode legalmente residir, trabalhar, auferir de prestações sociais, etc, em qualquer um dos 27 Estados-Membros, algo que não seria assim tão fácil se tivesse apenas a sua nacionalidade originária. Claro que não é apenas chegar e tem logo emprego e casa e tudo mais, isso não é assim em lado nenhum, mas obviamente é muito mais fácil a pessoa poder-se mover livremente e sem restrições em 27 Estados, do que se tivesse de obter vistos, autorizações de residência, etc. E uma empresa vai preferir contratar alguém que, com toda a facilidade, no dia seguinte se muda para a cidade onde ela está sedeada e começa a trabalhar, ou alguém que precisa de tratar de uma série de burocracias primeiro? Acho que é óbvia qual a escolha... ainda que a outra pessoa possa ser "mais competente", não é nada disso do "pouco vai importar o resto".

Já trabalhei uns meses em Bruxelas e a maioria dos meus colegas eram cidadãos europeus que queriam ficar lá num emprego definitivo e a competição no mercado de trabalho era altíssima, toda a gente muito qualificada. Os poucos colegas que tinha de países terceiros nem tentaram ficar lá, pois sabiam que face à oferta qualificada de mão-de-obra de cidadãos europeus, eles não tinham qualquer hipótese, ou seria muito mais difícil conseguirem algo, muito pela burocracia que isso ia acarretar para quem os contratasse. Se essas mesmas pessoas já tivessem obtido a nacionalidade de um qualquer dos 27 Estados, esse problema nem se punha.

Wilma Santos disse...

E o que você Anônima das 5.58hs me explica quando uma vaga fica publicada há vários meses na Internet e uma candidata daqui do Brasil é contratada? Há vários empregos de bom nível,nem digo de alto nível, que são preenchidos por pessoas que poderão está em qualquer parte do Mundo, repito. Do Brasil há várias e aqui há vários imigrantes também: ator, engenheiro, médico... inclusive Portugueses, hoje a coisa está assim. (visite brasileira na Suiça : elaeamericana.net) Outro dia soube de um Senhor brasileiro de mais de 55anos que foi convidado a trabalhar em Vancouver no Canadá e estava solicitando assessoria como fazer com seus bens no Brasil. O que observo é que o Imigrante sempre fica nas pontas, ou no trabalho que o nativo não quer fazer ou naquele que não tem o nativo os conhecimentos exigidos, até porque, penso eu, o nativo tem prioridade se ele é capaz de fazer e quer fazer, como regra, não sei na prática, mas negar a imigração, ou cultuar o xenofobismo é tolice, todos os países precisam e cada vez mais vão precisar, não acha não? Pior ficará aquele país que nenhum imigrante quer ficar, péssimo sinal. Porém, eu compreendo você, o pouco tempo que estive e volto como viajante a Portugal, foi suficiente pra entender sua posição, e sugiro que reveja seus conceitos, pra não dizer preconceito,rsrsrs. Fique Bem Anônima e trate de se capacitar, o Mundo é grande, e profissões novas surgem todo dia...
E quanto ao Visto Golden, outros países adotam, aliás com conta bancária cheia, os problemas são minimizados, ou nem existem, é fato, Obrigada Bel pelo Post, bem proveitoso.

DianaRaquel disse...

concordo com algumas coisas que aqui são ditas, apesar de não perceber muito e não pesquisar p tal pq tenho 17 anos e não é um assunto do qual tenha interesse mas acho pouca coisa para se ter a nacionalidade portuguesa ou qql que seja, pois abre p um outro mundo, pois nao so fica com direitos e deveres portugueses mas tambem em relação à UE. vejo muitos estrangeiros e tenho muitos amigos que os são, mas às vezes dá-me raiva quando alguns dos meus conhecidos dizem que não gostam do meu pais e que preferiam estar no seu pais de origem e que metem defeitos em tudo o que vem (neste caso a maior parte que EU CONHEÇO que me disse isso foram brasileiros/africanos, mas podia ser outra nacionalidade qql) mas que como lá não tem condições e aqui é melhor, então ficam aqui só porque necessitam, mas como é obv nem todos são assim, mas pergunto-me se houvesse um inquérito por exemplo os estrangeiros responder a algumas perguntas basicas sobre a historia desse pais ou ate mesmo o hino nacional que mts não o sabem e pergunto-me tbm se são essas as pessoas as quais o governo anda a dar a nossa nacionalidade à toa, é como se eu fosse ali comprar um pacote de batatas.

Minha vida...Brasil/ Portugal disse...

Boa noite, Bel! Gostaria de saber se posso pedir a nacionalidade portuguesa, depois de 6 anos, mas no consulado de Portugal em BH. Tenho q retornar com urgencia ao Brasil por questoes pessoais e minha certidao nascim. de inteiro teor n chegara em tempo. Provavelmente terei q ficar la alguns meses, mas gostaria de tratar da nacionalidade antes de retornar a Portugal. Bjs e obrigada. juliana.

Blog da Bel disse...

Juliana, não tenho a menor ideia... Acho que o ideal é se informar junto do SEF antes de tentar pelo Consulado...
Boa sorte!
Beijocas

Anónimo disse...

Ola Bel!!
Tire-me uma duvida sff...o Itamaraty é os negócios estrangeiros, certo!!!!! tenho que ter o carimbo desse órgão??? Obrigada maria silvia

Blog da Bel disse...

Maria Silvia, normalmente quando dou entrada em pedido de nacionalidade portuguesa de alguns clientes brasileiros é necessario o carimbo do Itamaraty sim, nomeadamente, na certidao de nascimento (brasileira) de inteiro teor e na copia da identidade (RG e Passaporte). Isto nos processos de nacionalidade de filhos e/ou netos de portugueses.

Espero ter ajudado.

Beijocas

Anónimo disse...

É este preconceito que não leva Portugal mais adiante. É o "Eu não sou preconceituoso, só acho que os estrangeiros deviam estar no pais deles." Os portugueses tem a memória curta, esquecem que muitos dos nossos também já tiveram de emigrar...

Carlos Santos disse...

Boa tarde, me chamo Carlos e sou Detetive particular. Atuo na área á mais de doze anos. Também sou pesquisador especialista em Genealogia e obtenção de certidões antigas em Cartórios e Igrejas. Meus honorários são bastante razoáveis. Meus contatos são: 081 9863-1799 Tim / 081 8775-8518 Oi. documentos@hotmail.com carlosdetetive32@hotmail.com

Angella disse...

E continuam a ter de emigrar como muitos outros...a essa possibilidade temos de agradecer à globalização. ...a procura de melhores condições de vida não pode nem deve ser negada a qualquer ser humano.

Anónimo disse...

Olá fico muito feliz por vc ter conseguido, gostaria de saber uma informação moro há mais de 6 anos em Portugal meu companheiro é português à 10 anos e há um ano oficializei minha união, tenho dois filhos portugueses, fiz o mesmo procedimento que você, nacionalidade pelo fato de residir mais de 6 anos, como meu antecedente criminal enviei sem passar pelo consulado, tive que mandar de novo, agora está tudo certinho, minha dúvida é o seguinte depois de tudo certo como vc recebeu a nacionalidade, eles te chamaram à uma CRC ou enviaram alguma carta para você tirar os documentos portugueses?
Grata por responder

Kelly rosa

Anónimo disse...

Olá Izabela, tenho uma duvida, depois desse processo todo vc adquiriu dupla cidadania ou perdeu a nacionalidade brasileira?

Blog da Bel disse...

Anónimo, ela não perdeu a nacionalidade brasileira. Portugal (ao contrário do Brasil) dá a dupla nacionalidade mesmo a quem não nasceu no pais (jus solis) ou não é descendente de portugeus (jus sanguinis).

Beijo

Minha vida...Brasil/ Portugal disse...

Olá Bel!
Ano passado deixei mensagem p vc aqui dizendo q iria dar entrada ao pedido de nacionalidade Portuguesa. Assim o fiz e semana passada recebi a informação de q saiu minha nacionalidade.
Gostaria de saber, uma vez q já retornei ao Brasil (por questões familiares/saúde) e n sei qdo poderei voltar à Portugal, se posso dar entrada na documentação (q é devida, depois de se obter a nacionalidade) aqui no consulado português.
Abraços e obrigada pela atenção-
Juliana Maciel

Minha vida...Brasil/ Portugal disse...

Nunca ouvi falar q o Brasil n desse a dupla nacionalidade tb, em se tratando principalmente de Portugal, país q tem tantos acordos.
Bjinhos,
Juliana Maciel

Blog da Bel disse...

Juliana, não lhe sei responder... De que documentação fala? Mas se era algo para juntar lá (em Portugal) acredito que o possa fazer aqui (no Brasil) junto do Consulado...

Beijocas

Minha vida...Brasil/ Portugal disse...

Bell, me refiro a fazer documentos portugues, tipo o BI, passaporte português, etc no consulado no Brasil, uma vez q ja tenho a nacionalidade.
O q estou a procura é dessas informaçoes, pois a Conservatória de Lisboa enviou uma carta para meu endereço em Portugal, a dizer q me foi dada a nacionalidade portuguesa. Só q eu estou no Brasil.
Bjinhos

Blog da Bel disse...

Ah sim!!! Os documentos pode! Eu também renovo os meus aqui quando não estou em Portugal! :)

Anónimo disse...

O interessante desse preconceito é que alguns portugueses nao lembram que tiveram que entrar em caravelas e ir em busca da riqueza de outras terras e que extraíram muitas riquezas brasileiras gratuitamente. Esse tipo de preconceito que nem se pode chamar de disfarçado, pois foi escancarado deveria ficar guardado junto à vergonhosa história de exploração dos portugueses sobre outros países africanos e o Brasil. Assim como muitos estrangeiros imigram para Portugal, muitos portugueses abandonam seu país... Portugal está longe de ser o destino preferido na europa por parte dos imigrantes!

Anónimo disse...

Olá Bel, resido em Portugal há 12 anos e tenho cartão de residência. Tenho 18 anos, estudei aqui e agora trabalho a contrato. Enviei em fevereiro (26) deste ano meus documentos para os registos centrais em lisboa de modo a dar entrada na minha nacionalidade portuguesa. Sei que o deveria ou até poderia ter feito isso mais cedo porém somente agora tive condições financeiras para tal. A questão é que gostaria de ingressar o ensino superior inglês neste próximo ano letivo, porém, só me autorizam a tal caso possua o cartão de cidadão o que me tornará um cidadão europeu. Preciso de ter isto até dia 23 de Março. Pensa que até lá posso ter a minha nacionalidade? Existe alguma forma de acelerar o processo? Obrigado, beijinhos!

Eliezer Santos disse...

Parabéns Bel pela informação precisa e sem rodeios e historinhas.
Você é uma das poucas blogueira que não viaja quando escreve.

Blog da Bel disse...

Eliezer,

obrigada! Mas na verdade quem fez este post foi a Izabela Viegas de Oliveira do blog Normal Modern Girl!!! :)

Beijocas

Anónimo disse...

Obter novos nacionais é fundamental a Portugal, que tem taxa negativa de crescimento da população, assim como em outros países europeus.

Anónimo disse...

Sou brasileira e vivo em Portugal há quase 7 anos..trabalho e pago meus impostos....sou descendente de portugueses-...espanhóis e italianos..fico abismada alguns comentários aqui preconceituosos...pessoal...vamos lembrar que os portugueses colonizaram e séculos depois ainda vivem numa boa em muitos países no exterior....qual é o problema um estrangeiro se naturalizar em outro país? Por acaso o povo português não fez e faz isso há anos? Minha cidade São Paulo...tem mais portugueses que em Portugal inteiro...

Anónimo disse...

Bom dia Bel ! Estou em Portugal a 5 anos. Mas durante 3 anos estive estudando. Ou seja, só trabalho a 2 anos. Quando fizer 6 anos de residencia aqui será que poderei solicitar a nacionalidade ? Pergunto porque sempre ouvi dizer que eram 6 anos A TRABALHAR. E que anos com titulo de residencia de estudo nao contavam. Sabe me informar quanto a isso ? beijinhos !! Rafaela

Leonardo Moraes disse...

Santa incongruência! Conheço portugueses que criticam fortemente as propostas de Donald Trump, que obviamente vão afetar os imigrantes portugueses ilegais nos USA; mas, incoerentemente, defendem políticas que visam dificultar a vida e o progresso dos imigrantes não-europeus em Portugal.

Anónimo disse...

Para os que criticam o fato de Portugal conceder o direito a cidadania com 6 anos de autorização de residência, os Estados Unidos concedem o direito a pedir cidadania após apenas 5 anos de residência permanente (Green Card). https://www.us-immigration.com/blog/how-long-does-it-take-from-green-card-to-u-s-citizenship

Enviar um comentário